.

slides

Boletins informativos

.

domingo, 15 de agosto de 2010

TRIOLOGIA MILLENNIUM -->> A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO --->> 2º Livro -->> Audiobook para Download em Mp3






TRIOLOGIA MILLENNIUM 
 A MENINA QUE BRINCAVA COM FOGO
 2º Livro




Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um destes, o tutor de Lisbeth, foi morto a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados - um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Lisbeth. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito mais formidáveis, e que, se a polícia ou os bandidos a acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados.
Este segundo livro começa com as férias de Lisbeth Salander, em sua tentativa de superar os sentimentos que nutre pelo mulherengo Mikael Blomkvist. Os dois mal se falam, apesar das tentativas de Mikael, que então se dedica ao trabalho na revista Millennium – um sucesso graças à ajuda de Salander. Mas como os personagens foram muito bem construídos no primeiro livro da série, e, por dispensar apresentações, a história que se segue ganha a profundidade pretendida pelo autor.

Na revista, Mikael está às voltas com uma edição especial sobre tráfico de mulheres na Suécia, que conta com a participação do também jornalista Dag Svensson e da criminalista Mia Bergman. Então seus dois amigos e colaboradores são assassinados e também o tutor de Lisbeth. Espalham-se notícias sobre a culpa de Lisbeth, que passa a ser procurada pela polícia, mas Mikael acredita que, de alguma forma, os assassinatos estão ligados às pesquisas de Dag e Mia.

Stieg Larsson prova mais uma vez que seu lugar no mundo era mesmo como autor. Sua narrativa é ágil e detalhada, mas sempre selecionando bem os pontos em que se aprofundará o que poupa o leitor de descrições enfadonhas. surpreende com um mistério envolvendo um triplo homicídio em que as digitais encontradas na arma pertecem a Lisbeth Salander, a anti-heroína perfeita.

E todos acreditam que nossa protagonista não passa de uma psicopata doente mental… mas uma vez estão enganados ou será que não? Já que todos os elementos levam a único resultado, que ela é a culpada.

E assim, desenrola toda uma rede de tramas e muita sujeira enterrada e que um caso que seria tão simples (arma+digitais=SALANDER) de ser resolvido na verdade é tão complicado e surreal.

Nesse segundo livro descobre-se mais sobre a vida Lisbeth,o motivo de sua mãe ser doente, sua família e seu passado, sobre o porque dela ter sido internada em uma instituição psiquiátrica com 12 anos, sobre o “Grande Mal“.

Tudo o que aconteceu em sua vida que levou a ela a ser o que é hoje: uma pessoa violenta, desconfiada, vingativa, retraída e que sempre ataca aqueles que querem ou pensem em lhe fazer algum mal.

Tenho certeza que você será surpreendido sobre a rede que foi formada em volta da Lisbeth, às pessoas, os lugares e situações, tudo conectado a ela e a um segredo de Estado.

Ela é sempre desacreditada por sua aparência raquítica e sua baixa estatura, mas ela é capaz de deixar o líder de uma gangue de motoqueiros com sérios traumas físicos e o com moral baixo. Ela pensa de uma forma surpreendente, inteligente e vingativa, tanto que passou o livro todo sem ser encontrada pela polícia.

Como exemplo de vingança: Ela deixou um homem pendurado pelo pescoço e ameaçou dar-lhe um choque de setenta mil volts que faria as suas pernas amolecerem e assim, ele não conseguir sustentar o seu corpo e se enforcar. E tem a vingança contra seu tutor que acredito ter sido a melhor…Claro, nossa protagonista ODEIA OS HOMENS QUE NÃO AMAM AS MULHERES.

Todos estão contra Lisbeth por causa da sua personalidade, mas somente três pessoas confiam na sua inocência, e uma delas é o Super Blomkvist, que desafia a polícia e faz uma investigação particular, passando até por cima de seus princípios morais de jornalista. O único que realmente conseguiu desvendar o mistério.

O autor coloca nesse livro algumas explicações matemáticas já que a protagonista é um gênio e se concetra na leitura de um livro sobre a história da Matemática (você vai ter lembranças da sua professora explicando o Teorema de Pitágoras).

E assim como no outro livro tinha-se dados na abertura dos capítulos sobre a violência contra as mulheres, nesse livro tem-se fórmulas matemáticas e uma explicação, acredito que para mostrar que certos elementos combinados (como em fórmulas) sempre chegam a um resultado, seja a Lisbeth o x² e o Zala o y².

E mais uma vez tem-se a denúncia da violência contra as mulheres no contexto do tráfico de mulheres para fins de prostituição. A violência, lucros, envolvidos, leis, o crime organizado etc.

Não dá para falar muito do livro sem entregar a história, vocês terão que ler e descobrir por conta própria os mistérios e mais um vez brincar de detetive com um monte de peças de um quebra-cabeça que não se encaixam.

PS*: A Menina que Brincava com Fogo é a Lisbeth…mas você tem que ler para saber o porquê. Porém sabendo do perfil vingativo já se pode ter uma leve idéia.








"Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade" -  Lisbeth Salander




















Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails

.

Ocorreu um erro neste gadget

AdSense